Indice


Amor e Sexo


Bíblicas


Mágicas


Sorte

A SORTE

REFLEXÕES SOBRE A SORTE

l

   Estudando a perfeição da natureza, chegamos à conclusão que a chave mestra do universo é o equilíbrio e que devemos procurá-lo de forma natural, sem necessidade de agredir a nós mesmos ou a nossos semelhantes.

   O mundo é grande, cheio de alternativas e há espaço para todos. Quem prejudica a terceiros não se eleva espiritualmente. Tudo emana da vibração cósmica e todas as ações provocam reações proporcionais.

   Participamos do ambientes que geramos e se quisermos obter boa sorte e felicidade, o caminho mais adequado, sem duvida, é plantar boas sementes em todas as ocasiões de nossa vida.

   As simpatias são práticas mágicas, que fornecem a quem as realiza com fé e pensamento positivo, um meio para atingir seus objetivos, pois funcionam como catalisadores de energia, obedecendo a um direcionamento programado.

   Desta forma, através delas o homem pode evoluir, atingindo graus mais elevados na escala da vida, seja material ou espiritualmente. A felicidade de cada um é o desejo do próprio Criador. Em sua bondade eterna, ela nos contempla com meios para sermos melhores e, assim, podermos chegar até Ele.

   As simpatias a seguir apresentadas foram especialmente selecionadas porque proporcionam vibrações de acordo com esses preceitos, presentes na filosofia oriental, mas já incorporados a nossa cultura. Constituem-se, por isso, em objetos de auxílio, levando-se em conta que quem vive o bem, gera o bem, participa do bem.

   Até pouco tempo, muitas destas simpatias permaneciam ocultas, sendo passadas de boca à ouvido, protegidas por segredos invioláveis. Na era que se inicia, porém, os segredos já podem ser revelados e cabe a cada indivíduo usá-los escrupulosamente. Se você pretende fazer isso, conscientize-se da força que possui e desenvolva-a para seu próprio progresso e de toda humanidade.

   As simpatias que apresentamos vão revelar como utilizar-se de poderes e sentidos superiores jamais imaginados antes. Sendo todo ser uma parte essencial do universo, capaz de agir através da mente e da vontade, estamos todos capacitados a utilizar tais poderes e despertar tais sentidos.

   Num plano invisível aos descrentes, estas simpatias apresentam fórmulas que variam das mais simples as mais complexas, perceptíveis apenas pelo seu resultado extraordinário.

   Nesta série de Simpatias para a Sorte serão encontrados encantamentos, amuletos, orações e sortilégios compilados junto ao saber universal, que funcionam como instrumentos de proteção contra o azar e condensadores da boa sorte.

   Não brinque com o conhecimento que está sendo posto a sua disposição. Utilize-o somente para o bem e lembre-se que os resultados dependerão diretamente da sua fé. Acredite verdadeiramente e encontrará o que busca, já que somente de você e de seus próprios atos depende a sua felicidade.

   Peças e serás atendido! A harmonia vem para aqueles que a procuram de boa vontade, utilizando-a corretamente.

II

   Ao longo dos milênios, o homem descobriu e tem comprovado que, de alguma forma, há como manipular as forças da natureza, desviando as energias negativas para longe de si, de preferência sobre seus inimigos, canalizando as energias positivas para si.

   As gemas, os metais, as conchas e muitos outros materiais tornaram-se amuletos preciosos pois, uma vez descoberto o segredo, fazem a ligação entre o homem e a realização, de alguma forma, de suas aspirações mais secretas de se sobressair aos demais.

   Entre os povos, o quartzo pessoal tinha um poder tão grande que não podia ser tocado por terceiros em hipótese alguma. Os alquimistas analisaram as propriedades mágicas do cristal em associação com outros metais, como o ouro e a prata, elaborando talismãs de alto poder, capaz de atrair a sorte ou expulsar o azar, atingindo um alto grau de eficiência nisso. Amuletos e talismãs criados naquela época ainda hoje circulam pelo mundo inteiro, enfeitando os pescoços de muitos leigos que desconhecem seu verdadeiro poder.

   Os orientais até hoje usam como pedra da sorte aquelas gemas de luminosidade faiscante, como a safira, o olho-de-gato e a opala. O olho-de-gato, uma variedade do crisoberilo, é utilizado pelos nativos do Ceilão. A adulária é venerada na Índia.

   O homem também descobriu muito cedo que as plantas têm poderes curativos e protetores contra forças negativas, como é o caso da arruda, da comigo-ninguém-pode e do alecrim, usados para afastar o azar. Banhos com ervas apropriadas têm poderes fantásticos e sempre comprovados.

   Outras substâncias, como o sal grosso e o vinagre são respeitadas no combate ao azar, assim como o açúcar, o mel e as frutas em geral o são para atrair a sorte.

   Percebeu ainda o homem que os deuses bafejavam com a sorte seus eleitos e que era preciso fazer de tudo para cair nas suas graças. As oferendas foram o meio encontrado, atendendo essa necessidade manter-se em evidência aos olhos das divindades, para que elas retribuam com a sorte desejada.

   Essas oferendas iniciais são o que podemos chamar de primeiras simpatias na história da humanidade. Hoje esse repertório de simpatias é inesgotável. Para todos os setores e momentos da vida, quando se desejar ou precisar de sorte, serão encontradas as simpatias indicadas, das mais simples às mais complexas, todas aptas a resolver o problema ou trazer uma solução.

   Numa obra como esta, busca-se compilar o máximo possível de simpatias sobre o assunto, selecionando-as entre tantas outras que existem e são utilizadas não apenas no Brasil, mas em todas as partes do mundo.

   Seja lá qual for o seu problema com a sorte ou com o azar, procure e encontrará entre estas simpatias aquela que poderá ser a solução para o seu problema. Tenha sempre em mente que o componente imprescindível e essencial para o sucesso de qualquer simpatia foi, é e sempre será a sua fé.

III

   Não basta ter sorte. É preciso saber cultivá-la e, acima de tudo, aproveitá-la. Isso pode parecer estranho, mas todos nós conhecemos a história de alguém que ganhou ou herdou uma soma enorme em dinheiro ou propriedades, acabando por dissipar tudo isso em pouco tempo, principalmente nas mãos dos invejosos aproveitadores.

   Uma coisa a considerar é que o fato de ter sido brindado com a sorte, não significa que se deva esquecer disso e deixar ao deus-dará o que vier pela frente. Se o prêmio veio, houve um motivo e isso tem de ser levado em conta com seriedade e todos os cuidados devem ser tomados para preservar isso.

   Na Bíblia Sagrada esse aspecto é ressaltado, principalmente nas parábolas de Cristo, pois se uma dádiva lhe foi concedida, você tem o dever de zelar por ela e não desperdiçá-la.

   Não basta ter sido agraciado pela sorte. É preciso saber conservá-la para que a graça recebida se multiplique e seja a solução definitiva para os problemas.

   A sorte pode ser aquela mudança brusca para melhor em seu destino. Essa mudança pode se produzir ao acaso, nos chamados golpes de sorte, quando coincide de você estar no lugar certo e na hora certa. Outras mudanças, porém, podem ser provocadas, se você conhecer os instrumentos para isso. Ao nosso redor há um mundo invisível, onde feixes de energia circulam. A ação dessa energia pode ser controlada e direcionada. Ao se fazer isso, feixes de energia positiva ou negativa podem ser dirigidos, proporcionando sorte ou azar. A maneira de fazer isso é através das Simpatias.

   É hábito normal das pessoas julgarem sua situação sob um ponto de vista pessimista. Por esse motivo, afirmam que não têm sorte porque jamais ganhou alguma coisa importante na vida, referindo-se a sorteios, rifas e jogos.

   Isso ocorre porque, na realidade, o conceito de sorte está mais ligado a ganhos e coisas materiais que à dádiva da vida como um todo. Até por uma questão de afetividade, as pessoas gostam de ganhar coisas. Vêem nisso uma certa valorização e um reconhecimento que as deixa feliz, mesmo que por pouca coisa.

   No fundo, o que ocorre é uma enorme desesperança. As pessoas vão deixando de lado seus sonhos, suas aspirações, engolidas pela necessidade de sobrevivência e sob a sombra de uma total falta de perspectivas de melhoras na vida.

   Nem precisa dizer que o astral se torna terrível e cheio de negatividade e isso, por si, já afasta toda a possibilidade de mudança para melhor, pois atrai o companheiro inseparável e ciumento da sorte: o azar. Quando se deixa de canalizar energias positivas para si e para os outros, os sentidos passam a receber e canalizar energias negativas. Com ela vem o azar, o mau-olhado, a inveja, o ciúme e tantas outras faces do que é mau e negativo.

   O que importa é pensar positivamente, livrando-se de todo pessimismo e desapegando-se do que é material, para buscar no espiritual a sua satisfação.

   Para ajudar, aqui estão as Simpatias para a Sorte, adequadas para resolver esse tipo de problema.

IV

   A sorte é amiga de todos e o inimigo comum é o azar. Ocorre que há gente que não percebe isso e briga com a amiga, fica de mal da sorte e, feito um tonto, não entende porque é que ela lhe virou as costas.

   A sabedoria antiga já dizia que a boa sorte não abandona ninguém. Quem a deixa somos nós que, perdidos na ilusão, na cobiça, na ambição e no desejo de sempre querer mais, a abandonamos para correr atrás do azar.

   Assim, se você quer ter boas relações com a sorte, preste atenção para não se enganar. A sorte é boa e acompanha quem nunca pratica o mal. Quem gosta de malfeitos é amigo do azar.

   As manifestações do azar são variadas e se apresentam de todas as formas. Azar é passar fome, é estar desempregado, com dívidas ou adoentado, enquanto que sorte é estar sorrindo, sempre de bem com a vida, com geladeira cheia, a cabeça fria e a vida mansa. Qualquer que seja o seu caso, certamente vai encontrar uma boa simpatia que para a sua vida, atrair a sorte e espantar o azar.

   Tem gente que nem gosta de pronunciar a palavra azar, que é para não atrair o bicho ruim, e prefere dizer má sorte e isso já é uma forma de simpatia.

   São muitas as formas de afastar a má sorte e quem tem boa vontade para procurar, vai encontrá-la entre tantas outras que fazem parte do vasto repertório popular, bastando ficar atento a alguns detalhes importantes.

   A sorte é fácil de ser encontrada, quando se sabe como procurar. Quem a encontra ri à toa, porque tem motivo para a felicidade. Quem a perde chora e sofre muito, porque passa a ser vítima de maldades e ataques das forças negativas.

   Tudo depende de uma atitude positiva diante da vida. Lamentações e pensamentos negativos nunca foram recomendáveis e apenas refletem uma alma incapaz de receber, gozar e aproveitar a sua sorte. Se você é assim, trate de mudar e procure de toda forma escapar das intrigas, para não experimentar sofrimentos inúteis.

   Má sorte é não ter amigo, é ter brigado com a família, é ser uma pessoa solitária e rabugenta. Má sorte é coisa de gente pessimista, que prefere fazer parte da torcida do azar.

   Em oposição, sorte é ter força de vontade para enfrentar a vida, procurar sempre um remédio para as ferida e ser capaz de cantar e espantar os seus males. Entre os dois comportamentos, qual deles você escolhe?

   Se é inteligente e quer aproveitar a vida, corra atrás da sua sorte, procure andar sempre na em sua companhia nunca mesmo deseje que essa boa senhora esteja em outro lugar que não seja do seu lado. Dê as costas para o azar e mande-o embora. Não o deseje nem para si, nem mesmo para os seus inimigos, se os tiver.

   Se a sorte lhe escapou, faça uma boa simpatia e espere o amanhecer de um novo dia, pois o sol a trará de volta e mandará embora o azar.

   Para encontrar essa simpatia, basta procurar entre tantas aqui apresentadas, aquela que resolverá definitivamente seu problema.

V

   A maioria das pessoas liga a Sorte com o ganho de coisas materiais. Ganhar coisas, principalmente dinheiro, é sinônimo de Sorte. Isso porque ganhar é ver materializar um desejo, um sonho, uma necessidade satisfeita e tudo isso é muito bom e faz bem para as pessoas. Ninguém duvida disso.

   Por outro lado, Sorte também é não perder ou evitar de perder. Sorte é estar preparado para as adversidades ou prevenir-se contra o Azar. Sorte é saber aproveitar as chances que surgem ou fazê-las surgirem.

   Sorte também é persistência, trabalho duro, honesto e honrado. O resto vem no momento certo, para a pessoa certa, pela maneira correta. Neste tema a sabedoria popular é pródiga. Há registros de simpatias para todos os fins e necessidades, envolvendo a Sorte. Tê-la, atraí-la, conservá-la, aproveitá-la.

   Muitas dessas simpatias atribuem a um objeto ou a um animal o poder de conferir sorte ou azar e isso já é antigo na história da humanidade. No decorrer do tempo, porém, por excesso de zelo daqueles que inventavam as religiões, importantes conhecimentos foram destruídos e perdidos para sempre, deixando sem respostas muitas das questões que hoje intrigam os estudiosos.

   O que levava o homem a atribuir a um gato preto, por exemplo, o poder de atrair o azar? E por que uma escada faz a mesma coisa? Qual a origem da sorte trazida pelo trevo-de-quatro-folhas? E quem primeiro descobriu os poderes do pé de coelho?

   Isso tudo não surgiu do nada, gratuitamente, criado por uma imaginação fantasiosa. Se assim fosse, já teria desaparecido há muito tempo.

   Hoje em dia, com o fim do milênio e com o aumento exagerado da religiosidade, em muitos casos beirando o fanatismo, observa-se uma grande procura por amuletos e talismãs de todos os tipos.

   Em conseqüência disso, há uma forte inclinação dos magos e feiticeiros em aprofundar esses estudos, buscando não a explicação dessas simpatias, mas a sua essência, importante para o entendimento de outras tantas e, ao mesmo tempo, para a criação de novas receitas para os problemas modernos.

   De qualquer forma, acreditar na sorte já é meio caminho andado para atraí-la. Com um pouco de paciência, você poderá fazer o mais arisco dos pássaros pousar na sua mão.

   Da mesma forma, com paciência, prudência e obstinação, você poderá fazer a sorte vir ao seu encontro.

   É importante ter em mente, porém, que tudo que você fizer para atrair a sorte terá de ser feito conforme os princípios da natureza, o que vale dizer, com respeito à ecologia.

   Fazendo isso, verá que a sorte não é um privilégio de poucos, mas algo acessível a todos aqueles que depositarem fé nas simpatias específicas, realizando-as corretamente, sem intenções materialistas, vingativas ou prejudiciais a seus semelhantes nem à natureza. As boas intenções serão sempre recompensadas.

   E lembre-se sempre: quem não arrisca, não petisca!

VI

   Um dos sinônimos da palavra sorte é a palavra fortuna e isso explica porque muita gente acha que ter sorte e conseguir ter uma fortuna, não importa como venha, desde que não se precise trabalhar para isso.

   Isso porque, é óbvio, muito pouca gente consegue, apenas com o fruto do seu trabalho, constituir uma fortuna. Neste nosso país, as minorias desassistidas são a maioria, enquanto que a minoria privilegiada constitui uma minoria muito bem assistida em todos os sentidos.

   Por isso é tão forte o sonho, e o desejo, de ganhar de alguma forma, seja no jogo, nos papa-senas, nos tele-tudos, nas loterias, no bicho, nas rifas, nas raspadinhas e em tudo o mais que a criatividade da minoria esperta inventa para tomar dinheiro da maioria sonhadora, que ainda acredita no ditado que diz que a esperança é a última que morre.

   Tudo isso poderia ser um trágico engano se não fosse um pequeno detalhe: a sorte existe e acontece!

   O que fez uma pessoa, afinal, para merecer, ter o privilégio, conseguir, fazer com que, atrair, puxar e ter a sorte ao seu lado, dando-lhe tudo o que sempre desejou. Os exemplos estão por toda parte e isso está acontecendo a todo momento.

   Quando são lançados no mercado os bilhetes de mais uma extração de loteria, o ganhador já está predestinado e isso pode ser explicado por qualquer tratado mágico, por qualquer estudo mais sério sobre predestinação, numerologia, cabala, astrologia ou qualquer outra ciência oculta.

   Logicamente a pessoa que irá ganhar esse prêmio não sabe disso, mas os planos superiores, e às vezes os inferiores também, começam a trabalhar para que tudo aconteça segundo seus desígnios. Quanta gente comprou por impulso um bilhete, oferecido no último momento por um vendedor misterioso? E quem não foi levado, por uma série de coincidências, a arriscar sua sorte em alguma coisa?

   A história de cada grande ganhador sempre fascina, porque o componente sorte vai ser encontrado ali, presente, como que antecipando o grande prêmio ou a mudança de vida total.

   O que sempre se deve esperar, e para isso a fé é muito importante, é que toda mudança como essa, toda visita importante e decisiva da sorte, seja comandada pelos planos superiores, que farão dessa oportunidade uma bênção.

   No outro lado da moeda, temos os planos inferiores, dando a sorte, para atrair o inferno, acenando com o ouro, para dar o alumínio, ofertando a flor, para deixar o espinho.

   Por isso a sorte é uma coisa muito melindrosa, que deve ser pedida e atraída sempre com boas intenções e com uma mente isenta de pensamentos negativos. Caso contrário, ao invés de uma bênção, ela poderá ser um castigo.

VII

   Em toda parte e a todo momento há alguém iniciando uma ação para tentar reverter sua sorte e garantir alguma coisa a mais para o seu destino. Essas tentativas assumem um caráter desesperador, quando mais azaradas são essas pessoas. Desespero porque o desejo de mudar e de poder aproveitar alguma coisa da vida é tão grande que chega a sufocar.

   Tratados já foram escritos a respeito da sorte e de como atraí-la e conservá-la. Muitos dizem que ela é como um cavalo arreado, que passa a galope só uma vez. Você tem que montá-lo de qualquer jeito ou perde definitivamente sua oportunidade.

   É difícil aceitar isso, pois nosso destino estaria supostamente na habilidade pura e simples de reconhecer o cavalo, perceber que ele está arreado e montá-lo em plena corrida. Isso é simplificar demais algo muito sério.

   Nas mais primitivas civilizações, o destino e a sorte mereciam reverências e rituais dos mais simples aos mais complicados eram realizados, buscando manter uma situação ou revertê-la, seja na colheita ou na busca dos alimentos, seja nas guerras contra tribos rivais.

   Em todas essas situações, o componente sorte era entendido como uma seqüência de fatos encadeados, um levando ao outro e o conjunto resultando no sucesso da empresa. Isso era repetido nos rituais, pois sempre se entendeu este nosso mundo como um reflexo de um plano superior, onde as coisas acontecem, influenciando o nosso. Os rituais buscavam impregnar esse mundo paralelo para que ele se desenvolvesse de uma determinada forma, beneficiando aqueles que realizavam o ritual.

   O exemplo mais típico é o das danças guerreiras, quando combates eram simulados contra as tribos inimigas, que eram derrotados, logicamente. Derrotando o inimigo na dança ritual, acreditavam que podiam projetar essa realidade ao mundo paralelo, onde tudo aconteceria conforme a dança encenada. Ao se concretizar a vitória no mundo paralelo, ela, como conseqüência, ocorreria também na vida real.

   São rituais como esse que são encontrados nas Simpatias para a Sorte, utilizando-se dos mais diversos elementos e situações, propondo-se a modificar o destino daqueles que os realizam. De um modo geral, essas simpatias buscam assegurar mudanças no destino através do recebimento de uma grande soma de dinheiro, nos jogos, loterias ou empreendimentos comerciais.

   Se por um lado alguns podem achar que não é ético nem moral usar forças superioras para ganhos materiais, por outro há a questão simplificada num ditado popular: "quem não arrisca, não petisca." Assim sendo, por que não arriscar? O que de pior poderá acontecer, a não ser continuar tudo como está?

   Nestas Simpatias para a Sorte apresentamos uma série de oportunidades de mudar seu destino, atraindo a sorte e espantando o azar. O objetivo de todas elas é, com certeza, fazer com que esse "cavalo arreado e veloz" chamado sorte possa ser montado por qualquer um que se disponha a fazê-lo.

VIII

   A sorte está em toda parte. Muito embora ninguém possa vê-la, na verdade ela se manifesta através de pequenos indícios ou até de grandes sinais. Certas pessoas têm uma capacidade muito grande de ler e interpretar esses sinais. Outras não conseguem fazê-lo simplesmente porque não estão atentas a isso.

   Tem gente que sonha e tão logo acorda já faz uma interpretação desse sonho. Joga no bicho, por exemplo, e acaba acertando. Outras sonham com um número completo e, no dia seguinte, esquecem-no ou acabam não aproveitando a sorte que lhe foi anunciada.

   Os antigos oráculos são pródigos em apresentar mil e uma maneiras de você interpretar os sinais da sorte, começando pelos pássaros que vê de manhã ao se levantar e olhar para fora de casa, pelas placas dos carros, por uma seqüência de pequenos fatos que se repetem, como um mesmo número no jornal, depois numa carta que chega, numa placa de carro e assim por diante.

   Nas mais diversas situações da vida a sorte está presente e é desejada. Quando alguém faz um negócio, torce para que a sorte o favoreça e tudo dê certo. Num relacionamento a dois, ambos vivem fazendo de tudo para que a sorte os acompanhe e sejam felizes.

   O homem é um ser social e isso é muito positivo, pois ele precisa contar com seus familiares e amigos para viver, além de tudo o que é feito pelas outras pessoas e que facilitam sua vida. Isso, porém, tem o outro lado da moeda, já que viver em sociedade implica também em ter o azar de arrumar inimizades, de despertar inveja, de atrair mau-olhado, de provocar ciúme e de suscitar a cobiça.

   O ser humano, em seu lado negativo, é um ser egoísta por excelência e não poucos se aferram à idéia de que se não podem ter algo, não desejam que mais ninguém possa tê-lo. Com isso não hesitam em preparar um trabalho ou uma Simpatia de Magia Negra para acabar com a sorte dos outros e lançar-lhe uma maldição de azar com efeitos desastrosos.

   Mesmo sabendo dos riscos que correm ao fazer isso, pois cedo ou tarde receberão de volta a maldade, essas pessoas preferem se arriscar, indo, o que é pior, buscar defesa contra sua própria maldade nas práticas obscuras e nefastas, que mais e mais a arrastarão para o pantanal dos planos inferiores.

   Muitas almas acabam regredindo toda uma vida, apenas por um capricho ou uma vaidade.

   Isso demonstra como pode ser frágil a nossa sorte, que a ação maligna de uma pessoa, juntamente com forças negativas, conseguem alterar irremediavelmente. Se não nos protegemos nem tratamos de nos defender de tudo que nos ameaça invisivelmente, nunca prosperaremos.

   Muita gente não entende por que motivo trabalha, luta e persevera com tanto afinco e suor, mas não consegue ver chegar sua recompensa, pois tudo o que faz se dissipa no ar, como uma nuvem de vapor. O que lhes falta, com certeza, é a fé e a determinação para buscar numa Simpatia adequada, a solução para seus problemas. Uma simpatia que, possivelmente, tenha sido usada um dia por seus pais, seus avós ou antepassados, com sucesso.

VIX

   É muito difícil, para não dizer impossível, encontrar alguém que esteja totalmente satisfeito com a sua sorte. Isso pode dar a entender que o ser humano é um ser insaciável e eternamente insatisfeito, coisa que, no fundo, é bem o reflexo da verdade.

   Essa constante inquietação que move o homem e o faz estar sempre à procura de coisa melhor, interpretada até como uma certa ambição, tem sido responsável por todas as grandes evoluções da Humanidade até o momento.

   Não é uma questão difícil de ser entendida. Quando procurou alguma coisa para facilitar o transporte de seus pertences, quando o homem era um ser nômade num mundo em formação, ele descobriu a roda.

   De tanto observar os peixes e as águas, descobriu as embarcações e os meios de navegação. Por invejar os pássaros, ele descobriu o avião. Por se encantar com as estrelas, criou as naves espaciais. Nesse ritmo, percebe-se que, na verdade, nunca existiu nem existirá limites para essa inquietação do homem.

   Se isso acontece com a Humanidade como um todo, imagine como cada ser humano se sente, quando fechado em si mesmo. Ao encarar o mundo e as dificuldades que o cercam, ela, fatalmente, tem desejo de mudar isso.

   Se ele não tem um lugar para morar, um barraco com um teto sobre sua cabeça será seu desejo maior. Se ele tiver uma casa, vai querer um carro. Se tiver um carro, vai desejar um avião. Se tiver um avião, desejará uma nave especial e assim por diante.

   Na sua vida particular, se está sozinho, quer uma companhia. Se tem uma companhia, quer outra. Se ganha bem, quer ganhar melhor. Se o emprego é bom, quer um excelente e por aí vai. Jamais ele estará satisfeito.

   O mesmo ocorre com a sua sorte. Quem a tem, acha que tem pouco. Quem não a tem, deseja tê-la. O azar, o ciúme, a inveja, a cobiça, o mau-olhado, o olho-gordo, tudo isso anda por aí em decorrência desse desejo de mudança da sorte e é o preço que o homem tem que pagar por sua ambição, que não pode ser taxada de um defeito, pois é o que faz as pessoas se moverem em busca de algo melhor e maior para suas vidas e seus futuros.

   Com tantas forças negativas circulando nas ruas, nas esquinas, nas encruzilhadas e nas curvas de rio, é difícil mesmo encontrar a sorte, pois ela se protege contra esses ambientes, indo procurar locais menos carregados.

   Hoje em dia, qualquer um que deseje mudar sua sorte, terá que fazer o mesmo. Isso tem provocado uma verdadeira volta ao contato saudável com a natureza e às práticas antigas, dos antepassados, no que se refere às Simpatias.

   Para mudar a sorte, as pessoas precisam, antes de mais nada, de se limparem dessa casca de insensibilidade que o materialismo e o consumismo excessivos fizeram grudar nelas, juntamente com todas essas emoções negativas, que acabam expulsando a sorte. É preciso, portanto, voltar à inocência.

X

   Um dos campos mais procurados e interessantes das Simpatias Populares é o da sorte, pois todo mundo parece desejar ou precisar dela a todo momento. Isso logo nos leva a uma pergunta intrigante: onde e com quem está a sorte? Com os milionários astros do futebol? Com os endinheirados artistas do cinema internacional? Com as figuras que todo dia freqüentam nossa casa, através das telas do televisor? Onde, afinal?

   Parece que todos estão sem sorte, pois todos a procuram incessantemente. Basta passar por perto de uma casa lotérica ou observar a expressão das pessoas com quem cruzamos todos os dias pelas ruas. Estão à procura de algo que nem elas mesmas sabem o que é e, no fim, rotulam toda essa procura pela felicidade, pela segurança, pelo amor, inclusive, como falta de sorte.

   É preciso, portanto, separar as coisas para que se entenda perfeitamente o significado dessa coisa indeterminada chamada sorte. Um médico ou um cientista seguramente vai afirmar que a sorte maior é você está vivo. Isto porque, para chegar à concepção, você foi o vitorioso numa corrida da qual participaram milhões de minúsculos seres como você, chamados espermatozóides, no ventre de sua mãe. Ter vencido essa corrida contra milhões é quase um milagre.

   Os pessimistas afirmam que não existe sorte realmente, pois todos temos um destino semelhante e isso nivela as pessoas. Assim sendo, como todos caminhamos para a mesma direção, a morte, não há como dizer que uma pessoa tem ou teve mais ou menos sorte do que o outro, pois todas terminarão da mesma forma.

   Os incrédulos dizem que desejar o que não tem, aspirar realizações, sonhar, no fundo, são apenas ilusões e manifestações de insatisfação pessoal, pois nada mudará no destino das pessoas, em função de sonhar mais ou menos. Comentando isso friamente, afirmam que as pessoas que mais sonham e mais desejam, são aquelas que menos sucesso conseguem.

   É mesmo um assunto interessante. Deixando de lado os cientistas, os pessimistas e os incrédulos, que têm direito a sua opinião, vamos fazer um pequeno passeio no tempo e recuar alguns milênios, só para constatar que, já naquela época remota, os homens não apenas verificavam sua sorte, antes de qualquer decisão, como realizavam algumas práticas para mudá-la, quando esta lhes era desfavorável.

   Essas práticas tomaram alguns nomes, como Magia, Bruxaria, Feitiçaria, Encantamentos e outras, todas englobando um conhecimento oculto a que poucos têm acesso. Na realidade, ninguém diz que deseja ser um Mago, um Bruxo ou um Feiticeiro e imediatamente pode ingressar numa escola ou coisa assim. As pessoas são observadas e, quando avaliadas positivamente, são convidadas. Poucas têm esse privilégio, inclusive.

   Muitos desses procedimentos das ciências ocultas, no entanto, ou caíram no conhecimento popular ou foram dele tirados. A fonte e o repertório de tudo isso são as nossas Simpatias Populares.

   Não importa sua opinião a respeito. Usar uma Simpatia pode ser uma boa maneira de provar a si mesmo se a Sorte existe ou não.

XI

   Nas Simpatias Populares, alguns temas são constantemente questionados e ainda não foram muito bem entendidos. Muitos deles tem essa característica porque entram na questão da crença de cada uma. Quando se observa qualquer assunto sob esse prisma, as posições pessoais tendem a ser diferentes, pois enquanto algumas o vêem com moderação, outros o encaram com fanatismo ou total falta de critério.

   A Sorte, com seus múltiplos aspectos, pois está presente em todos os momentos e atividades da vida de cada um, é um desses temas. Algumas pessoas simplesmente não acreditam nela. Outras, porém, encaram o assunto com tanta seriedade que praticamente personificam a Sorte numa bela mulher, com mil encantos e caprichos, capaz de satisfazer os mais íntimos desejos ou provocar os mais terríveis azares.

   Quando personificam a Sorte, acabam também personificando o Azar, visto sempre como um demônio ou uma entidade obscura, terrível, cheia de tentações que induzem ao fracasso, ao sofrimento, à perda ou à inutilidade de qualquer esforço.

   A tradição popular, ao longo dos séculos, tem aceito as mais diversas versões, inclusive a mais recente, que afirma que a Sorte e o Azar são estados de espírito que, sendo positivos, atraem somente coisas positivas, ou vice-versa.

   Sob esse ângulo de visão, no momento em que você faz um jogo, por exemplo, sua sorte ou seu azar já estão definidos pelo seu estado de espírito naquele momento. Se a sua disposição for positiva, suas chances serão maiores.

   Para os estudiosos que pesquisam o assunto das simpatias, não há como não ver no assunto a presença sempre constante do componente que faz toda a diferença, quando se trata de sucesso ou fracasso, Sorte ou Azar: a fé.

   A confusão sempre houve, porque não há como separar das simpatias um caráter místico, onde a superstição se mistura sutilmente com a realidade, o natural com o sobrenatural, o físico com o espiritual, resultando numa prática que precisa, antes de mais nada, ser confiável e produzir resultados.

   A confiabilidade de uma simpatia, inclusive, está relacionada diretamente ao seu sucesso, pois apenas permanecem aquelas que surtem efeito. Essas são transmitidas de pessoa a pessoa, numa corrente que se move continuamente.

   Aliás, esse processo dinâmico é responsável pela divulgação de uma nova simpatia, fazendo com que ela se espalhe quase que simultaneamente numa grande extensão territorial.

   O momento determina o comportamento das pessoas e suas necessidades. Isso leva ao uso mais acentuado desse ou daquele ramo das simpatias. Quando a crise financeira é acentuada, por exemplo, as Simpatias para a Sorte, principalmente aquelas que se referem aos jogos, são as mais procuradas.

   Numa dinâmica intrigante, novas práticas são ressuscitadas e outras são esquecidas, enquanto se tenta cercar a Sorte de todas as formas e expulsar o Azar a qualquer preço.

XII

   Assim como uma simpatia pode canalizar energias positivas no plano espiritual, alterando sua emoção e seu estado de espírito para melhor, uma simpatia feita por uma terceira pessoa, movida pela inveja, pelo ciúme ou até por vingança pode desestabilizar esse campo de harmonia construído ao seu redor.

   Muita gente não entendeu ainda que os semelhantes se atraem, embora essa máxima seja secular. Se você está negativo espiritualmente, as pessoas que se sentem como você virão ao seu encontro. Se estiver positivo, boas companhias o procurarão.

   Este é um dos aspectos mais interessantes das Simpatias para a Sorte, pois em si já traz a orientação necessária para você mudar a sua vida, oferecendo-lhe a oportunidade de até resgatar um carma de vidas passadas, afastando de si todas as ameaças decorrentes das forças negativas.

   Isso não quer dizer que tudo deva ser feito sem um critério e que os fins justificariam os meios. Para afastar os aspectos negativos de sua vida você não deve usar os mais fáceis e radicais, que seriam os de utilizar a simpatia mais destrutiva a sua disposição. Ao fazer isso, você estaria se identificando e se igualando àqueles que lhe desejam ou fazem o mal. Sua sorte não seria duradoura e você ainda correria o risco de atrair para si ou para seus entes queridos, o chamado choque de retorno.

   Se você quer Sorte em sua vida, deve agir com critério, honestidade, pureza de coração e de espírito, pensando em jamais prejudicar uma outra pessoa para, à custa dela, construir sua felicidade. Mesmo que essa pessoa seja a sua inimiga.

   Os planos espirituais, assim como os desígnios de Deus, são escritos corretamente por linhas tortas. Ao desconhecer o perdão e atacar com as mesmas armas com que está sendo atacado, você mais e mais se envolverá negativamente nessa teia maligna.

   Muitas simpatias tiveram sua origem em práticas mágicas ou ocultas, por isso, ao escolher uma simpatia para sua sorte, verifique cuidadosamente se ela não prejudica ninguém e se não fere a ordem natural das coisas, isto é, se não está contra a natureza.

   Isso não quer dizer que você não deva se defender e, em simpatias, muitas vezes, ao se defender, você devolve o mal que lhe foi remetido. Quanto a isso não se preocupe, pois não foi você quem inventou a punição nem desejou o mal. Apenas provocou o reflexo desse mal de volta ao ponto de origem. É isso ou deixar que ele o prejudique.

   A diferença é bem sutil. Buscar a sorte prejudicando outros é perigoso. Defender-se do azar ou das maldades provocadas por uma outra pessoa é seu direito. Use-o, a menos que tenha vocação para mártir.

   De nossa parte, procuramos selecionar aquelas simpatias que buscam, antes de mais nada, manter ou recuperar a sua harmonia pessoal, para que possa receber e se beneficiar das energias positivas que lhe darão sorte. Simpatias originadas das Ciências Ocultas estão presentes nesta seleção, mas nada que possa prejudicar quem quer que seja. Use-as em seu benefício. Elas poderão mudar muita coisa em sua vida.

XIII

   Certas práticas persistem até hoje, catalogadas como superstições, não apenas aqui no Brasil, mas por todo o mundo. Evitar passar sob uma escada é tido como perigoso nos Estados Unidos, na Argentina ou em países da Europa. Abrir um guarda-chuva dentro de casa é fonte de azar em inúmeras nações e não se trata de um privilégio nosso, pois nem fomos nós os inventores desse útil instrumento.

   A sexta-feira treze é um dia particularmente temido por pessoas no mundo todo, indistintamente. Os letrados e os cientistas afirmam que tudo isso é pura ignorância e que esses fatos não têm o menor sentido nem a menor justificação ou explicação.

   Um exemplo interessante, ultimamente muito comentado, é o do técnico Zagallo, que usa o número 13 como seu amuleto, já que este não lhe dá azar algum. E as pessoas que negam qualquer força extraordinária desse número falam isso bem alto. Não percebem a estupidez que cometem, ao admitir que o número 13 não dá azar, mas sorte. Se dá sorte, alguma coisa há com esse número, não concorda, amigo leitor?

   Essa questão é sempre muito delicada e controvertida, por isso é importante observar e analisar, pois certas coisas estão além do conhecimento das pessoas comuns e até de muitas que se dizem sábias.

   Passar sob uma escada, por exemplo. Pode parecer ignorância evitar isso, não apenas pela precaução de se evitar que caia uma lata de tinta na cabeça ou um martelo, mas porque certas forças e certos conhecimentos estão envolvidos nesse ato aparentemente simples.

   Uma escada, apoiada à uma parede, forma um triângulo, tendo o chão como base. O triângulo é a forma da pirâmide. Atravessar o triângulo seria atravessar a pirâmide, quebrando seu fluxo de energia ou recebendo uma carga inesperada de energia que, tanto pode ser positiva como negativa.

   O número treze, tão apreciado pelo técnico Zagallo e tido como um número de sorte para ele é o mesmo número de membros da Santa Ceia. Treze degraus tinham as escadas por onde subiam os condenados à forca. Nas primeiras menções a esse instrumento de punição, o condenado subia por uma escada até o último degrau. Ali a corda era presa ao seu pescoço e, em seguida, empurravam-no para fora da escada.

   A questão, portanto, não é explicar a generalização do medo da escada e do número treze, ligando-a à forca e ao temor que ela representava. A questão mais delicada ainda é tentar descobrir porque essas escadas eram feitas com treze degraus. Por que não doze? Por que não apenas dez? Por que exatamente treze degraus entre o chão e a morte?

Muita gente não acredita em sorte nem em azar. Mas por via das dúvidas dão três batidinhas na madeira, quando falam isso. Outras, mais precavidas, usam as Simpatias para se proteger.

XIV

   Muita gente liga a Sorte a coisas materiais. Ganhar prêmios, sorteios, heranças e toda espécie de bens é sinônimo de Sorte. E ganhar é algo realmente gratificante. Basta parar por um instante e reviver a alegria do último presente ou da última dádiva inesperada.

   Na realidade, ganhar alguma coisa, principalmente quando se quer ganhá-la, é materializar um desejo, um sonho, uma necessidade satisfeita e tudo isso é muito bom e faz bem para as pessoas. Ninguém duvida disso e muita gente considera isso a mais pura Sorte, a mais autêntica felicidade.

   Outras pessoas acham que a Sorte é não manter ou evitar de perder o que se tem, preparando-se para as adversidades ou prevenindo-se contra o Azar, afastando o mau-olhado e o olho-gordo e sabendo aproveitar todas as chances que surgirem em sua vida ou, até mesmo, fazê-las surgir.

   Para muitos, mais realistas e com o pé no chão, Sorte é persistência, trabalho duro, honesto e honrado. Sorte é levantar-se cedo, saber se manter afastado do mal e de suas manifestações, principalmente do azar. O resto virá em decorrência desse trabalho e dessa vigilância constante. Quando o assunto é a Sorte, a sabedoria popular e as simpatias são pródigas nas mais diversas providências. Como se sabe, há registros de simpatias para todos os fins e necessidades, envolvendo a Sorte, como tê-la, atraí-la, conservá-la, aproveitá-la e tantas outras situações à disposição daqueles que nelas confiam.

   O uso de amuletos e talismãs, por exemplo, sempre foi muito ligado aos assuntos relacionados à Sorte e ao Azar. A prática de atribuir a um símbolo, objeto ou mesmo a um animal o poder de conferir sorte ou azar já é antigo na história da humanidade. Relatos surpreendentes dão conta da eficácia de muitos deles, até hoje utilizados. A origem de tudo isso, no entanto, já se perdeu na noite do tempo.

   O que levou o homem a atribuir a um gato preto, por exemplo, o poder de atrair o azar? E por que passar sob uma escada tem esse mesmo efeito? E quando e como surgiu o uso do trevo-de-quatro-folhas como símbolo da sorte?

   É lógico que Isso tudo não surgiu do nada, gratuitamente, criado por uma imaginação fantasiosa. Se assim fosse, já teria desaparecido há muito tempo. A repetição do resultado normalmente consagra o uso. O gato preto não deu azar para apenas uma pessoa, da mesma forma que não foi apenas o azar de uma pessoa que passou sob a escada que fez consagrar essa crença. O trevo-de-quatro-folhas não deve ter dado sorte para apenas uma pessoa, da mesma forma que um pé de coelho não se tornou símbolo de sorte gratuitamente. Coisas aconteceram e se repetiram, confirmando essas práticas.

   Hoje em dia, nota-se um crescente interesse na descoberta dessas respostas por parte das pessoas que, no fim do século e do milênio, sentem-se numa encruzilhada em relação a suas crenças e numa crise espiritual muito acentuada, própria desses tempos. Isso já aconteceu antes, em cada passagem de século. E vai continuar acontecendo e consagrando antigas e novas simpatias.

XV

   Há quem entenda por sorte o modo de viver; condição social ou material de uma pessoa. Isto não deixa de ser, mas a verdade mesmo é que a sorte possui poder de abrangência muito mais amplo que unicamente o sócioecônomico.

   O destino de uma pessoa é traçado quando ela é concebida, sua sina está escrita nas estrelas do nascimento à morte. Mas acontece que o Senhor Destino tem diversas faces e conforme for sua postura de vida, então será sua sorte.

   A sorte pode ser boa, a sorte pode ser má. A sorte pode ser sua amiga. Ou seu amigo será o azar? Como anda sua vida amigo? Por que caminhos o tem o destino?

   Seu fardo na vida tem sido pesado, está desempregado, com pouca sorte nos negócios ? Ou será alguma dor? Problema de mau humor? Mau amor? Teria você alguma grande dificuldade ou barreira que não o deixa atingir os objetivos desejados?

   Saiba que são sintomas da sintonia do azar. Problemas amorosos, espirituais, financeiros, de saúde ou outro tipo, normalmente acontecem motivados pela má sorte ou falta completa de sorte. Problema é má sorte, a boa é solução.

   A boa sorte, mais generosa, encontra-se em poder recorrer a um método eficiente que possa acabar com o azar. Neste caso chamamos "boa sorte curadora".

   Mostra-se também quando se torna possível evitar o acontecimento de fatos desagradáveis, que não gostaríamos que acontecessem. É a boa sorte preventiva. Como diz o saber popular, é melhor prevenir que remediar.

   Querendo proteger-se, obviamente deve procurar pela boa sorte protetora. Proteção nunca é demais, cada um deve guardar com firmeza o quinhão de boa sorte que o bom Pai nunca deixa de ofertar aos filhos que pedem em acordo com a Lei.

   Então você deve saber como fazer para pedir e conseguir a boa sorte. Basicamente ela poder ser alcançada quando a Grande Lei da Vida é respeitada.

   Princípio que rege tudo e inclusive a sorte, a grande lei na verdade não é única, é antes, multifacetada.

   Um ensinamento dos mais antigos e sagrados que temos no planeta ensina um caminho de sete encruzilhadas que levam à suprema boa sorte.

   A "suprema boa sorte", consiste em alcançar um estado constante e duradouro de paz e felicidade. Por determinação desconhecida este caminho não costuma ser dos mais fáceis, mas se levarmos em conta que não trilhá-lo é o maior azar que pode existir para um homem na Terra, então ele passa a valer a pena.

   Quem não encontra de alguma forma o caminho da harmonia em sua vida, vive sempre em azar. Uma pessoa assim vive sempre no descompasso da agonia e se for capaz de fazer uma análise profunda e sincera perceberá que em última instância a causa do desequilíbrio, dos problemas, a causa eterna da dor, é o desamor.

   É comum as pessoas se acostumarem ao azar e unicamente por falta de fé na existência de uma vida mais plena e na própria sorte acabam se acomodando e perdem a oportunidade de viver uma vida construída somente de felicidade.